domingo, 11 de agosto de 2013

Dia dos pais

Datas comemorativas despertam sentimentos. Desde o Carnaval de fevereiro até o Natal de Dezembro estamos sujeitos a reviver aquela mesma sensação dos anos anteriores.
O Carnaval, por exemplo, pode abrir a caixa da alegria para alguns e a do mal humor para outros. Afinal, essa não é uma data comemorada por todos os brasileiros, como insistem em afirmar os conglomerados de comunicação, que lucram com os batuques e os rebolados das mulatas nuas.
Assim também acontece com a Páscoa, Dia das crianças, Dia das Mães ou dia dos pais. Uma amiga detestava o dia das mães, porque ela perdeu a mãe e isso fazia desta data uma das piores do ano, vencendo apenas para a data de aniversário da falecida mãe.
Minha avó não gosta de comemorar a data do seu aniversário e quando se aproxima o mês de “apagar as velinhas”, quase noventa delas, ela fica angustiada. Isso ocorre porquê a data marca a perca de pessoas especiais para ela.
Pode ser que hoje, ao iniciar o dia dos Pais, tudo o que você desejou foi que ele logo acabasse. Pode ser que os traumas da vida tenha tirado a alegria desta data. Então eu gostaria de lembra-lo que você pode comemorar todos os dias por ter um Pai, não terreno, mas celestial.
Ele te ama e se importa com você. Ama tanto que está preparando um lugar para que por toda eternidade possam comemorar juntos a alegria de uma dia, Ele, o Deus criador de todas as coisas, ter se tornado seu pai. (Romanos 8:14)
Escolha hoje ser filho de Deus. Nem será preciso desejar a Ele um feliz dia, porque este, sem dúvida, será o dia mais feliz da Sua eterna existência. (Lucas 15:7; 10)



Nenhum comentário:

Postar um comentário